Livro: ‘O Aprendiz de Assassino’ de Robin Hobb, conheça um pouco mais desta incrível história!

Livro: ‘O Aprendiz de Assassino’ de Robin Hobb, conheça um pouco mais desta incrível história!

Livro: ‘O Aprendiz de Assassino’ de Robin Hobb, conheça um pouco mais desta incrível história!

aprendiz3

Este romance escrito por Robin Hobb, pseudônimo da escritora californiana Megan Lindholm, foi lançado pela primeira vez nos Estados Unidos em 1995, e no Brasil foi publicado  pela Editora Leya. Com o lançamento deste livro, Robin foi bastante elogiada pela crítica e por outros autores de literatura fantástica, como George R. R. Martin que, aliás, faz a recomendação inicial à autora na capa do livro, dizendo que seus livros “são como diamantes num mar de falsos brilhantes”.
O Aprendiz de Assassino é o primeiro livro de “A Saga do Assassino, que é uma espécie de “autobiografia” escrita por Fitz, protagonista da história. O personagem já está bastante envelhecido, porém começa contando sua história de vida desde a infância, quando foi abandonado pelo avô materno e deixado para viver com o pai, príncipe herdeiro dos ‘Seis Ducados’, reino onde se passa a história. Rejeitado por todos por ser bastardo, o “garoto”, como na grande maioria das vezes é chamado, passa a ser criado por Bronco, mestre dos estábulos e um dos homens de confiança de Cavalaria, pai de Fitz.

aprendiz2
Primeira capa do livro

Durante a infância, Fitz passa por diversas privações, é espancado e tratado muitas vezes como um animal. Depois de anos vivendo nos estábulos do reino, cercado por cachorros e cavalos, o garoto desperta o interesse de seu avô paterno, Rei Sagaz, que resolve que ele deverá receber educação digna de um príncipe e que será bem tratado, porém, secretamente, Fitz jura total lealdade à Sagaz e passa a ser treinado na arte do assassinado pelo envenenador do rei, Breu.
Sagaz resolve “cuidar” de Fitz por acreditar que um bastardo vivendo livre e sem cuidados poderia se revoltar contra o reino e futuramente representar uma ameaça. Com a grande ameaça que os ‘Seis Ducados’ está sofrendo, vivendo sob o ataque dos Navios Vermelhos, Fitz passa por diversos treinamentos para que possa ser útil e manter o reino em segurança.
As pessoas capturadas por estes navios de salteadores são “Forjadas”, ou seja, de alguma forma não explicada, os habitantes sequestrados continuam vivos, porém perdem suas almas e passam a viver como mendigos, sem dignidade ou respeito e não sentem mais nenhum tipo de emoção. Está condição é considerada a mais miserável para um ser humano, sendo que as pessoas preferem a morte a ter que se tornar um “Forjado”.

aprendiz

Segunda capa assinada pelo ilustrador Marc Simonetti

O livro é totalmente narrado em primeira pessoa, porém o fato do narrador já ser velho e estar falando de sua vida quando era criança, faz com que exista um meio termo entre a sabedoria e a inocência de menino.
Os elementos fantásticos na história num primeiro momento são simples e quase não aparecem. Existem três tipos desses elementos. São eles:
“Manha”, que é uma habilidade desenvolvida pelo protagonista Fitz, que faz com que o personagem possa criar  um elo entre ele e algum animal, porém essa prática é bastante repreendida e considerada nociva, pois, se usada com excesso, pode fazer com que o homem se torne mais animal do que humano.
O “Talento” é algo parecido com a manha, porém é bastante valorizado e importante para se combater uma guerra, pois é uma habilidade usada para se comunicar mentalmente com pessoas distantes e pode até mesmo confundir os pensamentos dos inimigos, sem falar que os únicos que podem ter acesso ao treinamento para se tornar “talentoso” são pessoas da família real ou indicadas pelo próprio rei.
O terceiro elemento fantástico e mais temido é o já citado “Forjamento”, em que as pessoas perdem suas características mentais de seres humanos e passam a viver como selvagem. Um dos fatos mais curiosos sobre a história do livro é a forma como os personagens são nomeados. Os habitantes dos Seis Ducados acreditam que o nome dado a uma criança é uma virtude, ou seja, ela não pode trair a virtude do nome que lhe é dado. Como por exemplo, espera-se que o rei Sagaz tenha sagacidade, ou que a dama Paciência seja uma mulher paciente ou que Bronco seja um homem rude, entre outros.
Algo que nos ajuda a compreender melhor a trama do livro é que, sempre no começo de cada capítulo, existe uma pequena explicação sobre a história, tradição ou religião do povo dos Seis Ducados ou dos países adjacentes. Os Seis Ducados são um reino
com todas as características europeias da Idade Média. Ao longo do livro, o enredo começa a ganhar um forte aspecto político que deixa o enredo super interessante, principalmente na segunda metade do livro.
Num primeiro momento, alguns podem considerar meio cansativo por serem histórias de uma criança contadas por um velho, mas isso é só no começo. O livro é cheio de reviravoltas e, à medida que o Fitz começa a ficar esperto, corajoso e incrivelmente mentiroso, o livro dá um salto grande de qualidade.
Esse livro é super recomendável para todas as idades, principalmente para o público que já gosta de Literatura Fantástica, mas procura histórias não tão infantis.

hobb1

Autora Robin Hobb

Destaque para a nova capa com a assinatura do artista plástico e designer francês Marc Simonetti, que também
assina as capas dos livros de George R.R. Martin. A sequência é o Livro ‘O Assassino do Rei’, já publicado pela editora LeYa.
Recomendo.

Por Keila Lima

Editado por ~M

Deixe o seu cometário



- bids2 - ww7