5 MOTIVOS PARA LER: Leon Tolstói

5 MOTIVOS PARA LER: Leon Tolstói

5 MOTIVOS PARA LER: Leon Tolstói

O “Leitores Depressivos”, voltou a mil! A ‘Coluna 5 Motivos para Ler’ elenca cinco motivos (no mínimo), para você ler as obras de grandes autores da literatura nacional e mundial.

A matéria de hoje traz um pouco da vida e da obra de Tolstói. Confiram!

Em 09 de setembro de 1828 nascia Lev Nikolayevich Tolstói (no português mais conhecido como Leon ou Liev Tolstói), que se tornaria futuramente um dos grandes mestres da literatura russa. Tolstói pregou uma vida simples, pacifista; era um homem da natureza. Nascido de uma família nobre, se voltou contra o governo e a igreja. Posicionou-se a favor da paz, da educação popular dos camponeses e classes mais pobres, em oposição aos valores das classes privilegiadas. A seguir apresentaremos cinco motivos para ler esse grande escritor que tentou transformar uma sociedade (e por que não o mundo?), através da sua literatura.

1º Motivo: a vida do escritor e sua influência na literatura

tolstoi3
O jovem Tolstói

Órfão já na infância, Tolstói recebeu sua primeira educação em casa por parentes. Seu desejo pela escrita começou desde cedo.
Ao longo de sua vida, escreveu diversas obras de ficção, cartas, artigos, tratados, diários e cadernos de anotações. Adulto, iniciou os estudos dos cursos de Direito e Línguas Orientais na Universidade de Kazan, mas não os concluiu. Após abandonar a universidade, Tolstói vai viver no campo, numa época em que os camponeses eram propriedade do senhor da terra. Apesar de descender da nobreza russa, buscou melhorar as condições de vida desses camponeses – que eram responsáveis pela produção de toda uma
propriedade, mas viviam em extrema pobreza – e se preocupou com a educação das crianças, abrindo uma escola na sua propriedade.

tolstoi2

Tolstoi e a família: alguns filhos e netos

Nessa época, casou-se com Sophia Andreievna Bers, com quem teve 13 filhos. Inicialmente, aproximou-se do regime liberal. Descrevia com realidade e exatidão a vida das diversas camadas sociais sem, no entanto, julgá-las. No entanto, após sua primeira viagem para a Europa em 1857, Tolstói se depara com as contradições da sociedade burguesa, as péssimas condições de vida e a pobreza dos trabalhadores, o que formou a sua convicção de que somente a religião e a formação moral do indivíduo poderiam resolver as desigualdades sociais. Sua preocupação com os problemas sociais e com a igreja ortodoxa, que era ligada ao Estado e afastada do povo, o fez criar a sua teoria religiosa, que defendia a resposta ao mal com o perdão e angariou adeptos no mundo inteiro, como Ghandi e Martin Luther King. Seus seguidores se denominavam tolstoianos. Por suas atitudes, Tolstói se tornou símbolo de honestidade e caridade. Tolstói propagou suas ideias religiosas através da literatura. Fundou uma editora, escreveu diversos livros, pregava para camponeses e os ensinava a ler a bíblia por seus livros. O fim do regime de servidão na Rússia, que em nada beneficiou os camponeses, serviu de base para diversos artigos de crítica, escritos por Tolstói, que recusava toda forma de governo e poder e denunciava as péssimas condições das massas populares. Seus escritos foram objeto de perseguição pela polícia e censura e, por ter criticado permanentemente a igreja ortodoxa, foi por ela excomungado. Deprimido com a situação de seu país e com as constantes brigas com sua família, que era contra a distribuição de suas terras entre os camponeses, bem como à cessão pública dos direitos autorais de suas obras, Tolstói abandona sua casa. Adoecido, é reconhecido numa estação de trem pelo chefe da estação, que o leva para sua casa para descansar enquanto manda avisar a família de sua doença. O escritor morreu de pneumonia, na cama do chefe da estação, em 07 de novembro de 1910, aos 82 anos de idade. A morte de Tolstói gerou grande comoção popular. Tropas foram colocadas em prontidão, pois temia-se uma grande revolução. Em seu funeral, compareceram intelectuais, artistas e muitos camponeses.

2º Motivo: a literatura russa

A literatura russa é densa e rica em qualidade, pois aborda temas de forma profunda e levam o leitor à reflexão. Contou com vários
gênios escritores, dos mais variados gêneros. Tolstói fez parte dessa “era dourada” e contribuiu com suas grandes obras realistas, com ricos textos envolvendo temas psicológicos, sociais e filosóficos. Seus romances se tornaram clássicos no mundo inteiro. O século XIX foi a Idade de Ouro da literatura russa. Outros autores de renome têm destaque na literatura russa como, Alexander Pushkin, Fiodor Dostoievski e Mikhail Lérmontov.

3º Motivo: os contos e pequenos textos

Todos se assustam, à primeira vista  com a densidade dos livros de Tolstói (não se intimidem, leitores!). Assim, por que não começar com os textos menores do escritor? O leitor se acostuma com o estilo do autor e assim tomará gosto pela literatura russa, que tem muito a oferecer em conhecimento, entretenimento e cultura.

Conheça algumas dessas obras:

– A Felicidade Conjugal, sua primeira obra, é uma pequena novela, carregada de sensibilidade e detalhes, contado sob o ponto de vista feminino. Uma obra prima!

– O conto O Diabo, publicado postumamente, fala do casamento e relacionamentos amorosos, frente à moral social.

– Em A Morte de Ivan Ilitch, um juiz aceita uma proposta para trabalhar em outra cidade e para lá se muda com a família, quando fica acometido de uma doença. A partir daí, o leitor acompanha o desespero desse homem diante da iminência de sua morte. Muitos outros contos e novelas podem ser o início de uma leitura contagiante das obras de Tolstói.
Por exemplo: Senhores e servos, A Sonata a Kreutzer, Onde está o amor, Deus está também, etc.

4o Motivo: o livro Guerra e Paz

Guerra e Paz é, sem dúvidas, considerada a maior obra literária escrita por Tolstói. Trata-se de um romance que aborda a sociedade russa do século XIX, relatando os horrores das guerras napoleônicas e o sentido de vida em sociedade, com ricas descrições psicológicas. O livro é instigante e estimula o questionamento do leitor em diversos pontos. Envolve cultura, política, religião e suas influências nas questões cotidianas e pessoais de seus personagens. O livro é instigante e estimula o questionamento do leitor em diversos pontos. Envolve cultura, política, religião e suas influências nas questões cotidianas e pessoais de seus personagens.

Confira a sinopse e capa  do livro:

Guerra e Paz – Leon Tolstói, Liev Tolstói

capa-do-livro-guerra-paz
Capa original do livro Guerra e Paz

O romance foi publicado em partes na revista Mensageiro Russo entre 1865 e 1869. Ele alterna de maneira precisa a História – tendo como protagonistas Napoleão, o Tsar Alexandre I e o general Kutuzov no período da campanha napoleônica contra a Rússia entre 1805 e 1812 – e o enredo ficcional, cujo fio condutor são a vida, as misérias e os amores de duas grandes famílias aristocratas, os Rostov e os Bolkonski, por sua vez protagonistas de um mundo em plena decadência.

5o Motivo: Ana Karênina

“Todas as famílias felizes são parecidas entre si. As infelizes são infelizes cada uma a sua maneira.” Assim começa Ana Karênina, outro grande clássico de Tolstói. A história envolve muito mais que o caso extra conjugal da personagem principal: tem uma forte descrição da sociedade russa da época. Além disso, o escritor mergulha no psicológico dos personagens e na mente humana com profundidade, em um tempo em que se falava em psicanálise. Daí a genialidade de Tolstói.

anna karenina2

Capa do livro Anna Karenina

Confira a sinopse:

Ana Karenina – Liev Tolstói

Uma das melhores obras de Tolstói, o romance Ana Karênina narra a história do amor difícil e controvertido vivido pela protagonista Ana na Rússia czarista. Ela é uma mulher casada que vai atrás de seu amante Vronski mas, arrebatada por uma paixão proibida, resvala cada vez mais para um abismo de mentiras e destruição. Tolstói questiona o significado da vida e da justiça social tendo como pano de fundo as crises familiares. É o maior romance do adultério na literatura universal.

anna karenina

A atriz Keira Knightley como Anna Karenina no filme

A adaptação cinematográfica da obra, foi lançada no cinema em 2012 e estrelada Keira Knightley (Orgulho e Preconceito) como Anna Karenina e  Jude Law (Cold Mountain), com0 Alexei Karenin, e dirigido por Joe Wright.

Dicas da colaboradora:

Ler Tolstói é tão bom, que os motivos acima não são suficientes para o leitor depressivo se interessar a lê-lo.
Se você, ainda não se convenceu, segue algumas dicas:
– Gosta de literatura russa ou quer saber um pouco mais sobre (e passar a gostar muito!)? Leia a entrevista do Professor Paulo Bezerra – doutor em Letras, especialista e respeitável tradutor de obras russas para o português – concedida ao Sindicato dos Professores de São Paulo.

– As obras de Tolstói possuem diversas adaptações para o cinema, teatro e televisão. Das mais antigas às mais atuais, vale a pena conferir (veja as diversas versões de Ana Karênina, personagem já interpretada no cinema por grandes atrizes como Greta Garbo (1935), Jacqueline Bisset (1985) e Keira Knightley (2012)).

– Fique de olho! Vem aí uma adaptação de Guerra e Paz para a BBC. Será em formato de minissérie em seis episódios. A previsão de exibição é para 2015.

– Tolstói também escreveu para o público infantil. O livro Histórias de Bichos, reúne sete contos curtos em formato de prosa e Contos da Nova Cartilha tem trinta e oito histórias e fábulas que, na verdade, eram usadas pelo escritor na educação das crianças camponesas na escola que construiu em sua propriedade.

É claro que existem muito mais motivos para ler a obra desse incrível escritor, mas no mínimo ressaltamos alguns para que os leitores possam conhecer mais do universo maravilhoso dos grandes autores da literatura nacional e internacional.

Por Dora
Editado por ~M

Deixe o seu cometário