Lady Susan: conheça essa história incrível escrita por Jane Austen!

Lady Susan: conheça essa história incrível escrita por Jane Austen!

Lady Susan: conheça essa história incrível escrita por Jane Austen!

Já amou e odiou o personagem principal? Então se prepare, pois Lady Susan é capaz de despertar os melhores e piores sentimentos!
Esse é um livro diferente. Não só diferente entre os demais livros de Austen, mas diferentes entre tantos livros que já li. Teve sua publicação póstuma, sendo o material encontrado e catalogado pelo sobrinho de Jane, James Edward Austen-Leigh, que foi o maior biógrafo da autora. Não se trata de uma mocinha romântica, aliás, romance passa bem longe de vida de Lady Susan. Ele é uma raposa ardilosa e felpuda, pronta para devorar uma ovelhinha crédula e incauta. Esse livro revela o lado oculto das pessoas, que aparentemente são anjos, mas no íntimo, se revelam demônios cruéis!
O formato é de romance em epístolas, a autora montou uma grande trama, escrita em cartas de um personagem para outro, onde conhecemos cada um pela visão do outro, ou pela visão sincera de si mesmo, como no caso de Lady Susan e sua amiga íntima Alícia. Essas mesmas cartas, revelam as personalidades dos personagem que descrevem os seus atos, pensamentos e anseios. A protagonista, que intitula o livro, Susan Vernon, é uma viúva recente, mas de mocinha não tem nada.

lady_susan-712x1024

É uma daquelas paixões por anti- heróis/ heroínas inevitáveis, Lady Susan é fria, calculista, manipuladora, mas é sedução pura! A sua beleza, doçura, inteligência e persuasão são atributos fatais para qualquer pessoa. Ela sabe agradar, ser doce, gentil e tirar o melhor proveito das pessoas e situações. Tem uma visão global dos fatos e das pessoas, é observadora dos costumes e essa percepção é o segredo do seu sucesso, mas será o motivo da sua desgraça. Essa mulher, jovem ainda, mas experiente o suficiente (entre os 35 e 40 anos), é dotada de uma beleza rara, e não parece ter mais que 25 anos. Tem uma filha de 15 ou 16 anos, que ela simplesmente abomina, pela semelhança com o falecido esposo e sua família. Frederica é uma jovem tímida, infeliz, bonita, mas nem tanto comparada à mãe, mas é uma vítima da crueldade de uma mãe castradora e cruel. Lady Susan está com graves problemas financeiros, após a morte de seu esposo e tenta a qualquer custo casar a filha com um milionário, mas caso não dê certo, ela mesma fará esse sacrifício, se casando com o pretendente da filha.
Em Londres, a má fama de Lady Susan já havia se consolidado, era conhecida como viúva alegre, uma coquete, mulher que flertava com qualquer homem que a cortejasse e que fosse rico, é claro. Destruiu o casamento de uma amiga, que a hospedara e se tornara amante do marido dessa amiga. Toda essa patifaria maquiavélica é dividida com sua melhor amiga Alícia, que é mulher de caráter duvidoso, casado com um homem muito mais velho e doente, que torcia para ficar viúva, como Lady Susan e desfrutar do dinheiro da herança com seus amantes.
A situação financeira desfavorável, obriga a vilã protagonista a se mudar para a casa de seu cunhado, no interior, e isso representava uma espécie de morte. Estar em uma “roça” sem nada para fazer, se afastando da Cidade e seus prazeres, não era o que ela havia planejado.
Mas sem uma definição de seu amante, que não havia abandonado a esposa para se unir à ela e sem dinheiro, nada poderia fazer. Sua cunhada a odiava, porém tinha um irmão jovem, bonito, rico e deliciosamente manipulável: Reginald de Corcy. Lady Susan viu a oportunidade ideal para colocar seus dons em prática, poderia se divertir com o jovem, atormentar a cunhada e quem sabe, até se casar!
Nesse ínterim, sua filha Frederica, foge do colégio interno, ao saber que seria obrigada a se casar com um idiota milionário escolhido por sua mãe. Com a expulsão da escola, Frederica foi trazida por seu tio, e teve o apoio da família, que percebeu que se tratava de mais uma vítima de Lady Susan, para desespero da vilã.
Na história acontecem várias situações absurdas, que revelam o caráter bizarro de Lady Susan, ela desperta raiva, risos, amor e ódio no leitor.
É capaz de reverter qualquer situação contrária aos seus desejos, apenas com o poder da dissimulação, da persuasão e da esperteza. É incrível como Jane descreve a personagem de forma fluída e coloca de forma antagônica, o lado doce e perverso de Lady Susan. Todos os acontecimentos descritos nas cartas, revelam o quanto a ganância, a vaidade, o orgulho, a frieza e crueldade estão arraigados na sociedade há anos, não é nenhuma novidade. Jane Austen fala de adultério, desonestidade, hipocrisia, casamento arranjado, enfim, de tudo que sempre aconteceu na sociedade, de uma forma ácida e com certeza não era um assunto fácil de ser abordado na época.
Mas o final é perfeito. Pensei: será que Lady Susan terá o final que merece? Pagará por todas as suas maldades?
O final é Jane Austen sendo Jane Austen, ou seja, é tão coerente quanto a vida!
Lady Susan é muito atual, apesar de toda formalidade clássica, mas é uma Jane diferente, falando das mazelas sem filtro algum. Talvez por isso o livro não tenha sido publicado na época, por ser um assunto muito delicado para o período, existia um tabu enorme, tudo acontecia, mas não podia ser falado, quanto mais escrito.

A Editora Pedrazul fez um trabalho lindo, com uma capa bonita, uma tradução bem elaborada e recomendo a leitura deste clássico que já está sendo adaptado para o cinema, já publicamos no site uma matéria sobre esta adaptação de Lady Susan, capa e sinopse do livro.
Não perca, confira!

Recomendo!
Por ~ M

Deixe o seu cometário



- bids2 - ww7