“O JOGO DA VERDADE” a trama incrível de Kézia Martins!

“O JOGO DA VERDADE” a trama incrível de Kézia Martins!

“O JOGO DA VERDADE” a trama incrível de Kézia Martins!

Ler “O Jogo da Verdade” , escrito pela linda e talentosa, Kézia Martins, despertou sentimentos tão diversos em mim, que cheguei a sonhar (por uns bons três dias) todos os conflitos que eu, Yasmin, e a personagem principal, Melissa, compartilhamos.
Veja bem, Melissa é uma garota no auge da adolescência. Aquela fase péssima, que a vida não faz nenhum sentido e tudo é mais do que confuso. Aquela fase bem “tudo ou nada”. Kézia inicia a história bem no centro da trama. O leitor é convidado para dentro de um verdadeiro pesadelo da personagem, sem nos entregar todas as explicações do porquê daquilo. Só o que se sabe, pelo menos de princípio, que além de perturbador, o pesadelo é recorrente.
Melissa tem uma vida até que bem “normal”. Vai à escola, tem duas melhores amigas, pratica esportes…tudo bem aos padrões para uma garota de sua idade. Tem um “meio que namorado” (quem nunca?) e aparenta ser uma filha e irmã bem dedicada. No entanto, aos poucos é revelado a complexidade dessa personagem. Veja bem, toda essa sua “normalidade” na verdade é resultado de uma reflexão tão bem arquitetada por ela, que até mesmo o leitor, que acompanha seus pensamentos, muitas vezes é pego de surpresa.

Acho que a forma mais simples de explicar é na verdade levantar um questionamento. O que na verdade foi o que me peguei fazendo enquanto leia.

Confira a sinopse e capa:

jogo1

“Melissa é uma garota de 17 anos feita de mentiras, ela se muda para outra cidade junto com seu pai e irmão mais novo para esquecer o passado e todo o mal que ele fez. Estava conseguindo tudo isso, já tinha quase um namorado, ótimas amigas, tirava boas notas e fazia parte do time de vôlei da escola. Estava tentando ser uma pessoa melhor, nova, diferente, mas tudo desanda quando Fernando, um velho amigo do seu passado, volta. Depois de quase dez anos sem se verem, ela imagina que agora eles passariam a se tratar como desconhecidos. Sua vida vira de cabeça pra baixo. Fernando fica cada vez mais próximo. Matheus, o cara que pediria ela em namoro estava a traindo. Seu pai parece estar escondendo algum segredo. E ainda tem aqueles sonhos, aquelas perturbações noturnas que insistem dizer como ela era uma garota ruim. Alguém que não merece confiança porque ela mesmo mente todos os dias. O problema é que ela já não sabe se as mentiras são para si ou para as outras pessoas. Agora ela terá que descobrir da pior maneira que nem tudo é o que parece ser”

 

Sabe aquela fase da vida em que a gente tenta seriamente agradar os outros? Não sabe?
Bem, sorte a sua. Eu sou filha de pais divorciados (do tipo divorcio que os pais não conseguem ficar no mesmo cômodo juntos). Para aqueles que conhecem como rola o drama, basicamente é uma luta, sem muita solução, em tentar desesperadamente agradar ambos os pais. Você mente falando mal da mãe pro pai e mente falando mal do pai pra mãe. E por aí vai. Aí vem aquela fase adolescente inseguro (pelo menos no meu caso) e você se vê fazendo exatamente a mesma coisa. Só que agora com seus amigos. Seus professores. Você tem esse complexo absurdo de querer agradar os outros. E a forma mais simples de fazer isso, bem, muitas vezes é mentir. Melissa passa mais ou menos pela mesma coisa.

Melissa perdeu a mãe. Perdeu a mãe e mudou de cidade logo em seguida. Querendo deixar o passado para trás, quase que como para mudar seu destino, ela faz de tudo para se tornar uma Melissa “de agora” e deixar a de “antes” para trás. Para cumprir seu objetivo, ela passa a acreditar fielmente na ideia de que, se for uma Melissa do qual as pessoas projetam, esperam, desejam ou criam, ela então será verdadeiramente feliz.

A filha perfeita. A amiga quieta, delicada e mãezona. A estudante exemplar. A esportistas. A atriz. O casal perfeito. No entanto, sem ela ao menos perceber, passa a corromper sua própria identidade. Como se ela fosse se moldando de tal forma, que não apenas retirasse todo excesso de “pele”, mas praticamente se desmembrasse. Tudo para agradar os outros. Para se tornar uma imagem idealizada de algo que no fundo, não era seu verdadeiro reflexo. Claro que isso acarreta e diversos problemas, dos quais muitos serão abordados ao longo do livro.

Além da questão da perda de identidade, o livro aborda assuntos extremamente importantes, como depressão e suicídio. Não quero entrar em tantos detalhes (nada de spoilers), mas a construção do tema é feito de forma sutil, mas que apresenta ao leitor pontos muito significativos.

Somando a todo esse enredo, não poderíamos deixar de lado um pouco de romance (nem tudo está completamente perdido). O leitor é apresentado ao lindo e fofo do Fernando. Fer, para os mais íntimos. Com a ajuda de Fer, Melissa aos poucos passa a enxergar a sua verdadeira situação. O romance dos dois traz aquele tom familiar da adolescência. Aquela coisa que de repente engloba toda sua vida. Ambos não sabem como agir. Muito menos como se expressar. Certos momentos você chega a ficar frustrado com a “lerdeza” dos dois. Pois é mais do que evidente seus sentimentos (quando você amadurece, as coisas, geralmente, são tão mais simples não?).

Em relação a escrita e a narrativa, a autora, apesar de abordar temas sérios, nos traz uma leitura leve, divertida, familiar e facinha de acompanhar. Os capítulos são curtos, o que compele o leitor a ler diversas páginas e em pouco tempo. Como um todo, a experiência de leitura foi muito gostosa! E a alegria fica na expectativa do próximo volume!

 

Por Yasmin Marie

Edição Eliz Assumpção

~M

Deixe o seu cometário