Blog : Resenhas

“O JOGO DA VERDADE” a trama incrível de Kézia Martins!

“O JOGO DA VERDADE” a trama incrível de Kézia Martins!

Ler “O Jogo da Verdade” , escrito pela linda e talentosa, Kézia Martins, despertou sentimentos tão diversos em mim, que cheguei a sonhar (por uns bons três dias) todos os conflitos que eu, Yasmin, e a personagem principal, Melissa, compartilhamos.
Veja bem, Melissa é uma garota no auge da adolescência. Aquela fase péssima, que a vida não faz nenhum sentido e tudo é mais do que confuso. Aquela fase bem “tudo ou nada”. Kézia inicia a história bem no centro da trama. O leitor é convidado para dentro de um verdadeiro pesadelo da personagem, sem nos entregar todas as explicações do porquê daquilo. Só o que se sabe, pelo menos de princípio, que além de perturbador, o pesadelo é recorrente.
Melissa tem uma vida até que bem “normal”. Vai à escola, tem duas melhores amigas, pratica esportes…tudo bem aos padrões para uma garota de sua idade. Tem um “meio que namorado” (quem nunca?) e aparenta ser uma filha e irmã bem dedicada. No entanto, aos poucos é revelado a complexidade dessa personagem. Veja bem, toda essa sua “normalidade” na verdade é resultado de uma reflexão tão bem arquitetada por ela, que até mesmo o leitor, que acompanha seus pensamentos, muitas vezes é pego de surpresa.

Acho que a forma mais simples de explicar é na verdade levantar um questionamento. O que na verdade foi o que me peguei fazendo enquanto leia.

Confira a sinopse e capa:

jogo1

“Melissa é uma garota de 17 anos feita de mentiras, ela se muda para outra cidade junto com seu pai e irmão mais novo para esquecer o passado e todo o mal que ele fez. Estava conseguindo tudo isso, já tinha quase um namorado, ótimas amigas, tirava boas notas e fazia parte do time de vôlei da escola. Estava tentando ser uma pessoa melhor, nova, diferente, mas tudo desanda quando Fernando, um velho amigo do seu passado, volta. Depois de quase dez anos sem se verem, ela imagina que agora eles passariam a se tratar como desconhecidos. Sua vida vira de cabeça pra baixo. Fernando fica cada vez mais próximo. Matheus, o cara que pediria ela em namoro estava a traindo. Seu pai parece estar escondendo algum segredo. E ainda tem aqueles sonhos, aquelas perturbações noturnas que insistem dizer como ela era uma garota ruim. Alguém que não merece confiança porque ela mesmo mente todos os dias. O problema é que ela já não sabe se as mentiras são para si ou para as outras pessoas. Agora ela terá que descobrir da pior maneira que nem tudo é o que parece ser”

 

Sabe aquela fase da vida em que a gente tenta seriamente agradar os outros? Não sabe?
Bem, sorte a sua. Eu sou filha de pais divorciados (do tipo divorcio que os pais não conseguem ficar no mesmo cômodo juntos). Para aqueles que conhecem como rola o drama, basicamente é uma luta, sem muita solução, em tentar desesperadamente agradar ambos os pais. Você mente falando mal da mãe pro pai e mente falando mal do pai pra mãe. E por aí vai. Aí vem aquela fase adolescente inseguro (pelo menos no meu caso) e você se vê fazendo exatamente a mesma coisa. Só que agora com seus amigos. Seus professores. Você tem esse complexo absurdo de querer agradar os outros. E a forma mais simples de fazer isso, bem, muitas vezes é mentir. Melissa passa mais ou menos pela mesma coisa.

Melissa perdeu a mãe. Perdeu a mãe e mudou de cidade logo em seguida. Querendo deixar o passado para trás, quase que como para mudar seu destino, ela faz de tudo para se tornar uma Melissa “de agora” e deixar a de “antes” para trás. Para cumprir seu objetivo, ela passa a acreditar fielmente na ideia de que, se for uma Melissa do qual as pessoas projetam, esperam, desejam ou criam, ela então será verdadeiramente feliz.

A filha perfeita. A amiga quieta, delicada e mãezona. A estudante exemplar. A esportistas. A atriz. O casal perfeito. No entanto, sem ela ao menos perceber, passa a corromper sua própria identidade. Como se ela fosse se moldando de tal forma, que não apenas retirasse todo excesso de “pele”, mas praticamente se desmembrasse. Tudo para agradar os outros. Para se tornar uma imagem idealizada de algo que no fundo, não era seu verdadeiro reflexo. Claro que isso acarreta e diversos problemas, dos quais muitos serão abordados ao longo do livro.

Além da questão da perda de identidade, o livro aborda assuntos extremamente importantes, como depressão e suicídio. Não quero entrar em tantos detalhes (nada de spoilers), mas a construção do tema é feito de forma sutil, mas que apresenta ao leitor pontos muito significativos.

Somando a todo esse enredo, não poderíamos deixar de lado um pouco de romance (nem tudo está completamente perdido). O leitor é apresentado ao lindo e fofo do Fernando. Fer, para os mais íntimos. Com a ajuda de Fer, Melissa aos poucos passa a enxergar a sua verdadeira situação. O romance dos dois traz aquele tom familiar da adolescência. Aquela coisa que de repente engloba toda sua vida. Ambos não sabem como agir. Muito menos como se expressar. Certos momentos você chega a ficar frustrado com a “lerdeza” dos dois. Pois é mais do que evidente seus sentimentos (quando você amadurece, as coisas, geralmente, são tão mais simples não?).

Em relação a escrita e a narrativa, a autora, apesar de abordar temas sérios, nos traz uma leitura leve, divertida, familiar e facinha de acompanhar. Os capítulos são curtos, o que compele o leitor a ler diversas páginas e em pouco tempo. Como um todo, a experiência de leitura foi muito gostosa! E a alegria fica na expectativa do próximo volume!

 

Por Yasmin Marie

Edição Eliz Assumpção

~M

O ACORDO: Conheça a história do livro de Elle Kennedy

O ACORDO: Conheça a história do livro de Elle Kennedy

Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto… Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Gostaria, antes de mais nada, atestar que Hannah e Garret estão na minha lista de casais preferidos de todos os tempos. E, apesar de JK e Jane Austen serem para sempre minhas autoras preferidas, Elle Kennedy tem um talento tão sobrenatural, que secretamente estou querendo ser ela “quando crescer”.“O Acordo” é o primeiro volume da série “Amores Improváveis” (originalmente em inglês – Off- Campus) e traz como personagens centrais a determinada e inspiração de vida, Hannah Wells, e o sonho de consumo, Garret Graham.

Confira a sinopse e capa:

 

 

O-Acordo

“Tocante, profundo, engraçado, sexy… ”O Acordo” é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página.
Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.”

 

 

A dinâmica do livro segue o seguinte padrão: cada capítulo é divido pela perspectiva dos dois personagens principais. Ou seja, temos o prazer de não apenas acompanhar essa história de amor, mas também o desenrolar pela visão de ambos os personagens, algo que amo muito.

Hannah Wells, carinhosamente apelidada de Wellsy, é uma aluna do terceiro ano de música, tem 20 anos e é uma sobrevivente de estupro. Inicialmente, pensei que o fato de ter sido estuprada fosse ser abordado de uma forma mais “dramática”, mas gostei muito de perceber que a autora na verdade optou em considerar o estupro como algo que aconteceu na vida da personagem, mas que não a define. O que, se pensarmos no mundo real, é a melhor mensagem possível que poderíamos ouvir. No entanto, claro que ainda existem algumas cicatrizes e Hannah irá navegar por um mar de superação que é simplesmente lindo de acompanhar.

Nos voltando ao egocêntrico, infantil e bonitão, Garret Graham, Elle Kennedy constrói um personagem que, de princípio, parece como qualquer outro protagonista de um livro young adult. Mas, conforme a trama discorre, vemos um garoto se transformar não apenas em um homem, mas um homem gentil, carinhoso, responsável e maduro. Além disso, como todo bom personagem, ele tem uma construção histórica bem elaborada, centrando temas como violência e abuso.

Apesar do livro refletir a violência sexual e física, a narrativa é leve, bem-humorada e envolvente do começo ao fim. Além disso, a obra também aborda temas como amadurecimento, sonhos, sexo e carreiras, algo que aproxima ainda mais o leitor, especialmente aqueles de idade similares aos dos personagens. Em relação as cenas de sexo, são explícitas, muito bem elaboradas e fogem do clichê, seguindo uma descrição muito mais real do que é transar aos 20 e poucos anos.

Como um todo, o ponta pé inicial dessa série já deixa com gostinho de não apenas quero mais, mas de PRECISO mais.

Por Yasmin Marie

Edição Eliz Assumpção

~M

“Paris Para Um e Outros Contos”: saiba mais sobre o livro de Jojo Moyes!

“Paris Para Um e Outros Contos”: saiba mais sobre o livro de Jojo Moyes!

Mais um clássico romance da querida Jojo Moyes. Seguindo a linha registrada da autora, “Paris Para Um e Outros Contos” é um livro que reúne diversos short stories e dois contos maiores – “Paris para um” e “Lua de mel em Paris” – que, em linhas gerais, exploram diversas questões cotidianas e dilemas morais que nós, reles mortais, encontramos constantemente em nossas vidas.
Falando em específico do conto Paris para Um, confesso que, em geral, achei um pouco clichê demais. Se você é uma pessoa, como eu, adepta a comédias românticas, o conto fica um pouco previsível demais. A história segue aquela linha clássica de garota abandonada pelo namorado imprestável, encara uma cidade desconhecida, inserimos uma aventura pessoal, um francês bonitão, mas que também tem seus próprios distúrbios pessoais, se apaixonam e é isso. Obviamente que a escrita da Jojo é excepcional e os detalhes dão vida aos personagens. Mas senti que eu meio que já sabia de toda a história, logo na primeira página. Em contraponto e, como já revelamos aqui no blog, o conto está sendo adaptado ao cinema e, honestamente falando, sinto que em forma de roteiro a história fará mais sentido.
Em relação aos contos mais curtos, no entanto, me senti mais engajada. Contados em um pouco menos de 10 páginas, Jojo traz histórias envolventes, surpreendentes e ao mesmo tempo muito reais. Autoestima, crises existenciais, amor, sexo e muito mais são os principais temas abordados. Tudo, claro, com aquele tom bem britânico.
Para fechar o livro, mais um conto longo, como citado, “Lua de mel em Paris”. Como muitos fãs da autora já sabem, esse conto aborda os já conhecidos personagens Liv e David e Sophie e Édouard, de “A garota que você deixou para trás”. O conto não nos revela nada de um extraordinário, mas é perfeito para os amantes desses dois casais. Explorando um lado mais alegre dos casais em comparação ao livro, o conto é extremamente divertido de ser lido e senti uma fluidez e simplesmente um ânimo maior em relação ao primeiro conto – “Paris para um”.

Sinopse:

paris para um e outros contos
“Em histórias curtas e divertidas, Jojo, sem deixar de lado as personagens decididas que conquistaram o público, faz sua conhecida mágica de transformar situações comuns em eventos extraordinários. No conto que dá título ao livro, a jovem Nell planeja um final de semana romântico em Paris com o namorado e fica sabendo, já na estação, que ele desistiu de acompanhá-la. Sozinha em um país estrangeiro, Nell descobre uma nova versão de si mesma, independente e corajosa. Outros contos incluem um assalto a uma joalheria com uma reviravolta amorosa, a história de uma mulher que passa um dia inteiro com os sapatos de outra pessoa e um shopping lotado de pessoas fazendo compras de Natal que vai revelar a uma esposa estressada o que de fato importa na vida. E em “Lua de mel em Paris”, que fecha a coletânea, Jojo Moyes brinda os leitores com um reencontro com as personagens do best-seller A garota que você deixou para trás, Liv e Sophie, que, separadas por algumas décadas, acreditam que o casamento é apenas o início de suas histórias de amor. Dez pequenas amostras da saborosa escrita de Jojo Moyes, divertidas, autênticas e irresistíveis — você vai ler e se encantar.”

Como um todo, o livro carrega uma narrativa leve e de fácil leitura. Algumas partes trombamos com uns termos em francês, mas nada que interfira com a leitura. Acredito que o livro seja um must para os fãs da autora e uma opção para leitores que estão buscando uma leitura mais simples e rápida.

Por Yasmin Marie
Edição Eliz Assumpção

Conheça a história incrível do livro “A Menina Submersa – Memórias”!

Conheça a história incrível do livro “A Menina Submersa – Memórias”!

Ler “A Menina Submersa – Memórias” foi uma experiência tão surreal e fora do comum, que olho para a tela do computador sem saber por onde começar. Como contar essa experiência que, no fim, me deixou sem palavras. Como fazer jus a complexidade maravilhosa de India Morgan Phelps, a querida e imperfeita Imp.

O livro se inicia meio que do nada. Não há exatamente uma contextualização de espaço, mas sim da personagem principal. Imp irá explicar ao leitor que é maluca. E maluca no sentido mais literal da palavra. Entenda como maldição, genética, como quer – como ela mesma colocaria – mas sua família é repleta de mulheres com condições mentais desfavoráveis. Filha e neta de suicidas, Imp nos dirá que é esquizofrênica, mas nos deixará achando que ela não está tão longe assim da “normalidade”. Isso porque, o normal, muitas vezes, é muito maluco.

Assim como o título nos sugere, Imp começa a um livro de memórias para tentar reconstruir seus pensamentos e lutar contra seus mais profundos demônios, seu relacionamento com a transexual Abalyn, para, finalmente, arquitetar uma trama inteira para nos contar de suas lembranças sobre a misteriosa, manipuladora, linda e Eva Canning.

O livro carrega uma fantasia dark que apenas a talentosíssima autora Caitlin R. Kiernan poderia nos trazer. Como a própria autora coloca ao fim do livro, escrever essa história foi uma das coisas mais difíceis de sua carreira. Mais especificamente, 27 meses! Um romance diferente de qualquer outro que você provavelmente já leu, o livro conta com uma beleza e horror que estão constantemente em choque.

Além disso, a autora irá referenciar os mais diversos escritores, compositores, poetas e artistas. Entre os escritores, encontramos nomes como Edgar Allan Poe, Lewis Carroll, Charles Perrault, os irmãos Grimm e muito mais. Seus contos ajudarão a tecer a “história de fantasmas” de Imp e servirão de base para todo o enredo.

Entretanto, devo dizer que a leitura não é para qualquer um. Ele é sim um livro extremamente complexo de ser lido. E não por sua linguagem em si, mas por sua profundidade narrativa. Entenda. Imp é esquizofrênica, o que a leva a misturar ficção com a realidade. Tempo e espaço. E isso tudo foi reproduzido perfeitamente no papel. Ou seja, assim como a confusão que se passa na cabeça da personagem, a mesma irá passar pelo leitor. Deve-se ter em mente que é o tipo de livro que você terá de ler não apenas com calma, mas terá de revisitar muitas partes posteriormente. Eu mesma levei um mês para ler um livro de 300 páginas – geralmente me levaria alguns dias.

Sinopse:

“Uma “obra-prima do terror e da fantasia dark” da nova geração A Menina Submersa: Memórias é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do “real” sobre o “verdadeiro” e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos.”

 

Confira a capa:

a menina submersa

Como um todo, me senti muito ligada a personagem, muitas vezes entendo a dor de uma obsessão. Todos somos seres humanos… Seres vulneráveis e suscetíveis aos mais diversos males do mundo. Imp é a mais pura representação dos medos que muitas vezes sentimos e determinadas situações. Claro que, diferente de Imp, que sente tudo a flor da pele, nós os guardamos e os deixamos de lado. A leitura nos deixa uma profunda reflexão sobre a vida e sobre como nós nos enxergamos perante nós mesmos.

Recomendamos!

Por Yasmin Marie

Edição Eliz Assumpção

~M

“A GAROTA SEM PASSADO”: o suspense incrível do escritor Michael Kardos. Confira!

“A GAROTA SEM PASSADO”: o suspense incrível do escritor Michael Kardos. Confira!

“É assim que nos sabemos vivos: estamos equivocados. Talvez o melhor a fazer seja ignorar se estamos certos ou errados quanto às pessoas e simplesmente deixar as coisas seguirem seu curso. Mas se você consegue fazer isso… bem, sorte a sua”.

“Ele não deveria ter ido até ali. O passado era como um peixe tirado do mar: escorregadio e nunca tão bonito quanto você imaginava”.

Meg Miller está viva, e agora seu nome é Melanie Denison, e passou os últimos anos escondida com os tios. Depois de anos escondida ela acaba querendo conhecer o mundo, e apesar de toda superproteção dos tios, Melanie namora um professor e acaba engravidando, e depois disso começa a pensar em como será sua vida dali em diante, como será viver com medo para sempre do seu pai, e como seu filho irá viver? Depois de tanto pensar, decide contar para o namorado toda sua história.
Os tios de Melanie, ao longo da sua vida, foi contando sua história aos poucos, até chegar o momento que eles contaram, que o próprio Pai matou sua Mãe. Mesmo não tendo nenhuma liberdade e nenhum acesso a internet, ela descobre as cartas em que os Policiais mandavam, dando informações sobre o paradeiro de seu pai.
A história também é contada por Ramsey, e ele consegue transmitir todos os sentimentos ao longo de sua vida, desde a sua infância até aquele domingo de setembro de 1991. O autor consegue transmitir as inseguranças e ao mesmo tempo a força desse personagem, que super me cativou.
Depois de vazar uma imagem de Melanie e seus tios querer proibir até ela de estudar, ela decide que não quer viver para sempre com esse medo, e muito menos que seu filho sinta esse mesmo medo, então ela decide ir para sua cidade natal, para achar o seu pai e entrega-lo a justiça, mas muitas serão as descobertas e surpresas.
O inicio do livro é narrado por um ex jornalista, Arthur Goodale, bastante doente como ele mesmo narra, e não consegue esquecer o crime de 1991, a qual ainda não foi solucionado. Ele escreve um blog, em que volta e meia fala sobre Meg Miller e sua mãe, a qual ele o nomeou como seu caso Moby Dick, e ele achava que ia morrer antes de capturar o assassino. O livro tem uma narrativa bem leve e fácil de ser lido, o que torna a leitura mais rápida, e de um aproveitamento excelente, o autor soube como casar passado e presente sem deixar qualquer ponta solta e, mais importante do que isso, envolver a cada novo capítulo. Como os capítulos intercalam o ponto de vista e o tempo, ou seja, não seguem uma ordem cronológica, as revelações surpreendem e surgem como peças de um enorme quebra-cabeça. Um quebra-cabeça montado com precisão e maestria. Apesar de ser um suspense, não vai ter aquela característica de gato e rato, nem conspiração, e nem cenas de ação, o livro é mais focado no lado psicológico da trama, fazendo com que o leitor se pergunte o porquê de certas atitudes de Ramsey.

Conheça a sinopse e capa:

 

gar1

“Num domingo de setembro de 1991, Ramsey Miller deu uma festa em casa para os vizinhos. Depois, assassinou a esposa e a filha de 3 anos. Todo mundo na pacata cidade de Silver Bay conhece a história.
Só que todos estão errados. A menina escapou. Sob o nome falso de Melanie Denison, ela passou os últimos quinze anos escondida com os tios numa cidadezinha remota. Nunca pôde viajar, ir a uma festa na escola ou ter internet em casa, porque Ramsey jamais foi encontrado e poderia ir atrás dela a qualquer momento.
Mas, apesar das rígidas regras de segurança impostas pelos tios, Melanie se envolve com um jovem professor da escola local e engravida. Ela decide que seu filho não terá a mesma vida clandestina que ela e, para isso, volta a Silver Bay para fazer o que nem os investigadores locais, nem a polícia federal, nem o FBI conseguiram: encontrar seu pai antes que ele a encontre.”

 

Sobre o autor:

gar11

O autor Michael Kardos

Michael Kardos é escritor de romances e contos, que já foram publicados em revistas especializadas e lhe renderam diversos prêmios literários. Cresceu em Nova Jersey, formou-se em música na Universidade de Princeton e foi baterista profissional por muitos anos. Depois que terminou o doutorado, tornou-se um dos diretores do programa de escrita criativa da Universidade Estadual do Mississippi.

O livro é lançamento da Editora Arqueiro. Recomendamos!

Por Keidma Ferreira

Edição ~M

Conheça o livro ‘Como se Fosse Magia’ de Bianca Briones!

Conheça o livro ‘Como se Fosse Magia’ de Bianca Briones!

Eva é uma escritora que vive sozinha com seus gatos, não tem família, mas tem um grande amigo que também é seu empresário e que acredita na capacidade dela conseguir terminar o ultimo livro. Andando na rua um dia desses, ela presencia um assalto, e acaba vendo um rapaz caindo no chão e sua bolsa sendo levada pelo assaltante, ela fica meio sem reação, pega o celular para ligar para policia e ele simplesmente apaga novamente, e não tem ninguém para ajudar, e nesse momento aparece uma personagem, insistindo para ela ir até o rapaz e ajuda-lo, e assim Eva se aproxima, mesmo com o perigo do assaltante voltar, e quando ela olha o rapaz
caído no chão, perde o fôlego e lembra que ele é idêntico ao mocinho do seu livro, Enzo, e sua vida irá mudar completamente a partir desse choque. Eva continua congelada, perde o chão, e o rapaz acorda e pergunta onde ele está, e ela explica que ele foi assaltado e que caiu e bateu a cabeça, então ela pergunta: é você mesmo Enzo? Eva decide reler os livros, para ver se consegue se reconectar aos seus personagens e conseguir dar um final para história de Enzo.

A partir desse momento, tudo fica mais complicado, pois o ladrão levou a bolsa com os documentos do Rapaz e ele bateu a cabeça e esta com amnésia, e simplesmente não lembra quem é, e quando Eva diz que ele é Enzo, e que ela o conhece dos livros dela, logo ele acha que ela é louca e pede para ela se afastar dele.
Ela começa então a pensar como isso é possível, como poderia existir um cara estranho idêntico ao Enzo? Será que ela esta ficando louca? Indagado sobre isso, seu melhor amigo logo esclarece para ela, que todos esses acontecimentos só podem ser Magia. Enzo logo pede para chamar Eva e pede seus livros para ele ler, e ver se
recorda de algo, e essa trama vai se desenvolvendo de forma instigante e muito mágica, e vamos entrando na historia e ficando a cada pagina mais e mais encantado.
Os personagens são extremamente amáveis, Eva é bem engraçada, e muito carinhosa, Enzo é lindo e apesar da confusão consegue ser encantador, Thiago é um amigo excelente e apesar de cuidar da vida literária da amiga também se preocupa com o bem estar dela, e não suporta ver ela triste ou chateada por algo. A narrativa é em primeira pessoa, intercalando entre capítulos, e prende o leitor da primeira pagina à última.

Confira a sinopse e capa do livro:

bianca2

“Eva nasceu com o dom de passar todos os seus sentimentos para o papel, e com isso conquistou milhares de leitores pelo mundo. Agora, ela precisa escrever o último livro da sua série de fantasia, mas está com bloqueio criativo há um ano e não sabe o que fazer. Enquanto tenta se reconectar a seus personagens, a vida coloca em seu caminho um homem idêntico a um dos seus protagonistas. O problema é que o desconhecido surge sem nenhuma lembrança de quem ele é. Enzo está muito confuso. A princípio, ele duvida da conversa maluca de Eva. Mas mesmo com dificuldade em acreditar, ele não pode negar que se sente extremamente ligado a ela. Envolvidos por esse curioso e estranho mistério, Eva e Enzo estão prestes a descobrir que, às vezes, para que duas pessoas se encontrem, mundos inteiros são capazes de colidir.”

A autora:

bianca1

A autora Bianca Briones

Bianca Briones cria histórias desde antes de saber escrever. Foi uma menina sonhadora e manteve essa qualidade, o que a faz se perder em pensamentos com frequência. O romantismo explodiu em sua vida na adolescência, quando decidiu que seus filhos teriam nome de heróis. E tiveram — Athos e Arthur são dois garotos encantadores que a salvam todos os dias. Desde 2010, Bianca tem como prioridade a escrita e está sempre trabalhando em um novo projeto, enquanto outros personagens esperam pacientemente (ou nem tanto) que ela também escreva suas histórias. É autora da série Batidas Perdidas, de “As Fases da Lua” e de “Como se fosse magia”. Atualmente está trabalhando em um novo projeto, enquanto outros personagens esperam pacientemente (nem tanto) que ela também escreva suas histórias. Nas horas vagas, está sempre acompanhada de um bom livro, seus filhos Athos e Arthur; Max, o Husky Siberiano, e seus dois coelhinhos, Morgana e Lancelot.

O livro foi lançado pela Editora Gutenberg e vale a pena ler!
Por Keidma F.

A Menina da Neve: Conheça a história incrível do livro de Eowyn Ivey!

A Menina da Neve: Conheça a história incrível do livro de Eowyn Ivey!

Quando um livro te escolhe…

Tenho um gosto um tanto quanto peculiar de passear por livrarias todas às vezes que vou ao shopping e por obra do destino, tenho um ótimo acompanhante que incrivelmente tem essa mesma mania… Em uma dessas andanças, nos deparamos com um livro que parecia magicamente, nos chamar. Costumo ter uma concepção
de que os livros nos escolhem e dessa vez não foi diferente. Parecia arriscado confiar em um livro pela capa, no entanto, lendo a sinopse me vi bastante animada em
desvendar os mistérios que pareciam escondidos através daquelas páginas. O risco – quase sempre – vale a pena.
Sou carioca e apesar de suportar esse calor tropical, minha alma pertence à lugares frios e incrivelmente a história se passa no inverno rigoroso do Alasca, deixando ainda mais interessante a trama. A autora Eowyn Ivey mostrou, de fato, o porquê de ter sido finalista do prêmio Pultizer com seu enredo surpreendente e apaixonante.
“A Menina da Neve” conta a história de Mabel e Jack, um casal necessitado não só financeiramente como emocionalmente, que em suas solidões, desfrutam de momentos literalmente frios. Isso se deve ao fato de quando jovem, Mabel perder um filho e desde então, não conseguir gerar nada mais em seu ventre. O trauma vivido pelo casal há bastante tempo, nunca fora superado e sempre foi um penhasco entre a relação dos dois. Repentinamente, decidem juntos, fazer um boneco de neve em uma noite solitária e o que parecia simples, tornou-se denso no dia seguinte, quando as roupas que haviam colocado no boneco sumira, juntamente com todos os rastros feitos na noite anterior. O sumiço do até então boneco, trouxe à vida deles, uma menina e é aí que a magia do livro começa a ser revelada.
Havia um tempo que não lia nada tão cativante e ao mesmo tempo denso, quanto “A menina da Neve” e posso afirmar com toda certeza de que este é um livro diferente de tudo que já havia lido.

Confira a sinopse e capa do livro:

neve11

Do original ‘The Snow Child’ –
“Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa- vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.
Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas , eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.”

Trata-se não só de um drama com um toque de conto de fadas, inspirado em um conto Russo pouco conhecido, como também um convite à reflexão sobre nossa forma de enfrentar as tempestades de nossa vida, através de uma forma singela… Se você está procurando por uma história diferente e encontra-se disponível à entregar-se na densidade do universo que “A Menina da Neve vai te entregar, acredite: Esse livro te escolheu!

Por Rafaella Salles

Edição Eliz Assumpção

~M

CONHEÇA A INCRÍVEL HISTÓRIA DO LIVRO “PETER PAN TEM QUE MORRER” DO ESCRITOR JOHN VERDON!

CONHEÇA A INCRÍVEL HISTÓRIA DO LIVRO “PETER PAN TEM QUE MORRER” DO ESCRITOR JOHN VERDON!

“Um crime Chocante, um assassino infalível: um caso perfeito para o detetive David Gurney”.

Sou apaixonada por livros de mistérios, dramas, e ainda mais com enredo de tirar o fôlego de qualquer amante de uma boa literatura de investigação, policial e tramoias. E com certeza esse livro caprichou nesses aspectos.

Conheça a sinopse e capa:

 

 

 

verdon2

” Peter Pan Tem que Morrer traz de volta o detetive Dave Gurney, protagonista de Eu sei o que você está pensando, Feche bem os olhos e Não brinque com fogo.
Uma sofisticada trama de suspense que os aficionados por mistério adorarão tentar resolver. Com um enredo tenso, cheio de intrigas inimagináveis, Peter Pan tem que morrer desafia a inteligência do leitor até sua dramática e espantosa conclusão.”– Library Journal.

No mais tortuoso romance policial escrito por John Verdon, o especialista em mistérios David Gurney dedica sua mente brilhante à análise de um assassinato terrível que não pode ter sido cometido da forma como os investigadores responsáveis pelo caso afirmam que foi. Detetive aposentado do Departamento de Polícia de Nova York, ele precisa cumprir uma espinhosa tarefa: determinar a culpa ou a inocência de uma mulher condenada pela morte do próprio marido. Ao descascar as diversas camadas do caso, Dave logo se vê travando uma perigosa guerra de inteligência contra um investigador corrupto, um cordial e desconcertante chefe da máfia, uma jovem linda e sedutora e um assassino bizarro que tem a altura e os traços de uma criança – aparência que lhe rendeu o apelido de Peter Pan. A uma velocidade assombrosa, reviravoltas assustadoras começam a ocorrer e Dave é sugado com força cada vez maior para dentro de um dos casos mais sombrios de sua carreira.”

Aposentado, o detetive David Gurney, vive uma vida bem pacata junto a sua esposa, até que um antigo companheiro de trabalho leva para ele muitos documentos de uma investigação instigante e intrigante de um caso, e a tarefa dele é desvendar e revelar a verdade sobre um caso onde uma esposa é condenada pela morte do seu esposo Carl Spalter, um homem com uma grande ambição: se tornar governador, mas que sofreu uma atentado no enterro de sua própria mãe e morre tempo depois.
Conforme o detetive vai investigando, percebe que muitas outras pessoas fora a esposa, estaria também interessadas na morte de Carl, mas investigar um caso encerrado se torna uma tarefa, em que David precisa estar sempre à frente dos inimigos para conseguir sobreviver e chegar ao veredicto.
“Gurney já estava familiarizado com os aspectos básicos da topografia, da estrutura, dos ângulos e distâncias. Tudo isso fora documentado no dossiê do caso. Mas ver o prédio, e depois identificar a janela de onde a bala fatal foi disparada — em direção à área onde ele estava agora — tinha um efeito chocante. Era o efeito da realidade colidindo com a preconcepção. Uma experiência que ele tivera em incontáveis locais de crime. Era essa diferença entre uma imagem mental e o impacto sensorial verdadeiro que tornava tão importante estar ali”
Peter Pan quem te morrer é o quarto livro da serie do Detetive David Gurney, mas eu comecei por ele mesmo, e como todo romance policial, eles podem ser lidos em ordem aleatória, apesar de já sabermos quem é o assassino, ficamos mais e mais curiosos para descobrir quem foi o mandante do crime, e durante a leitura com certeza tive vários suspeitos, mas nenhuma suspeita se  concretizou.
“Há uma coisa interessante com os olhos, pensou Gurney. Eles contêm e refletem, mesmo com o esforço de esconder, o resumo emocional de tudo o que já viram.”

 

 

Sobre o autor:

 

verdon1

John Verdon ocupou vários cargos executivos em agências publicitárias de Manhattan, mas, como seu protagonista, transferiu-se com a esposa para a região rural no norte do estado de Nova York.

Outros livros do autor:

Eu sei o que você está pensando – 2011

Feche bem os olhos – 2012

Não brinque com fogo – 2013

Peter Pan tem que morrer – 2015

Apesar de não conhecer os outros livros,  já desde o inicio é possível notar que David Gurney é um personagem completo e muito humano, com seus medos e dramas reais. O que mais gostei da escrita do autor é que o livro não se resolve simplesmente sozinho, ele narra todos os passos do protagonista com muitos detalhes. Fiquei bem curiosa para ler os outros livros desse detetive, pois a leitura  me prendeu do inicio ao fim. Sem contar com o capricho da edição, com uma capa linda, um livro que com certeza eu compraria pela capa, evidenciando bem o nome do autor, e com tons lindos. Com certeza mais um livro favorito.
Recomendado!

Por Keidma
Edição ~M

Conheça a incrível história do livro “Dez Mil Céus Sobre Você”, da trilogia Firebird, da escritora Claudia Gray!

Conheça a incrível história do livro “Dez Mil Céus Sobre Você”, da trilogia Firebird, da escritora Claudia Gray!

“Uma mistura de Fringe com “Mundos Opostos”, muita aventura, romance e mistérios. A trilogia Firebird levará você para outros mundos!”

Não sei vocês, mas sempre fui fascinado pela teoria da relatividade de Einstein. A possibilidade da existência de outros mundos, outras versões de você em dimensões paralelas é incrível. E se você gosta do assunto, com certeza, a trilogia Firebird, da autora Claudia Gray, é pra você.
Ano passado, li o primeiro livro desta série, Mil Pedaços de Você, e fiquei simplesmente apaixonado quando terminei o livro. Completamente desesperado para ler o próximo livro. Mil Pedaços de Você definitivamente não decepcionou e é um livro intenso, tanto que eu estava basicamente na ponta da cadeira, quase caindo, o tempo todo da leitura.

Conheça a sinopse e capa:

Dez-Mil-Céus-Sobre-Você

“Marguerite Caine fez o impossível, viajando por dimensões alternativas com o Firebird — uma invenção brilhante criada por seus pais, seu namorado, Paul, e o amigo da família,Theo. Mas ela também chamou a atenção de inimigos poderosos, dispostos a seqüestrar, chantagear e até matar para usar os poderes do Firebird para propósitos escusos. Quando a alma de Paul é dividida em quatro fragmentos — que se encontram presos dentro de Pauls em outras dimensões —, Marguerite fará qualquer coisa e irá a qualquer lugar para salvá-lo. Mas o preço de seu retorno em segurança é alto. Se ela não sabotar os próprios pais em múltiplos universos, Paul vai continuar perdido para sempre. Mas Marguerite acredita que é possível salvar seu amor sem sacrificar a família, e para isso pede a ajuda do brilhante Theo. Os dois criam um plano para recuperar Paul e o Firebird, mas para que ele dê certo eles precisarão superar um concorrente genial e vão colocar em risco não só sua vida mas também a de todas as versões de si mesmos em várias dimensões. Desta vez a missão leva os dois aos universos mais perigosos até então: uma São Francisco dividida pela guerra, o submundo do crime de Nova York e uma Paris iluminada onde a outra Marguerite esconde um segredo chocante. Cada salto deixa Marguerite mais perto de salvar Paul — mas sua jornada revela verdades sombrias que fazem com que duvide da única constante que encontrou em todos os mundos: o amor que sentem um pelo outro.”

Dez Mil Céus Sobre Você começa exatamente onde o primeiro livro terminou e somos rapidamente jogados de volta ao mundo Firebird. Marguerite está, finalmente, reunida com sua família. Mas as coisas não ficam perfeitas por muito tempo, porque a mega corporação Triad, liderada por Wyatt Conley, vem e estraga tudo. E nossa heroína encontra-se, mais uma vez, viajando através das dimensões. Dessa vez com duas missões: encontrar uma cura para seu amigo Theo Beck e encontrar seu amado Paul Markov, cuja consciência foi dividida em quatro pedaços e espalhada por quatro dimensões diferentes.
Por vezes, histórias que abordam a temática de universo paralelo podem ficar confusas, mas Claudia Gray a mantém simples por ter apenas três regras principais:

1° regra – As personagens só podem viajar para dimensões em que outro “eu” seu exista. Se você não existe em uma das dimensões, ela se torna inacessível para você.

2° regra – Viajar através de dimensões paralelas não é como viajar no tempo, por isso, se você estiver viajando através de uma dimensão em 2015, você vai pousar em uma dimensão que também existe em 2015 (certos mundos, no entanto, pode ser mais ou menos desenvolvidos do que outros. Quem assistiu Fringe se lembra que na outra dimensão as torres gêmeas de NY não tinham sofrido atentado e o balão dirigível ainda era um meio de transporte usado).

3° regra – Ao menos que você seja um “viajante perfeito”, como Marguerite, você vai precisar usar a função de “lembretes” Firebird, de modo que sua consciência não adormeça dentro do corpo do seu outro eu. (Prometo que isso faz muito mais sentido no contexto da série e é super fácil de seguir).

Uma coisa que eu amo sobre esta série é que as personagens principais, Marguerite, Theo e Paul, estão em constante desenvolvimento de caráter o que torna a série mais completa. Senti que as personagens fortes e fracas foram muito mais desenvolvidas e aprofundadas neste livro do que no primeiro. Neste livro, Marguerite abraçou plenamente suas habilidades de viajante perfeita de universos paralelos e viaja com confiança de um mundo para outro, criando até pequenas regras para se ambientar na nova realidade e tentar não interferir ao máximo na vida da Marguerite que ela está usando o corpo. Além disso, ela não tem medo de questionar as crenças de longa data, especialmente sobre o papel do destino em mundos paralelos, e realmente aprende a tomar as rédeas de sua própria vida, fazendo suas próprias escolhas.
Theo, por outro lado, tenta romper com a reputação que foi construída pelo faux Theo no outro livro. Já o casal #Maraul (Marguerite + Paul <3 ) é mais ausente neste livro, em vista que Paul foi estilhaçado, e com isso podemos observar que o destino dos dois poderia ter sido muito diferente, assim como em outras dimensões.
O livro é repleto de revelações e nele muitos pontos abordados no outro livro são ligados. Finalmente começamos a aprender mais sobre a Triad e também sobre as “Marguerites” em outros mundos. Este livro é definitivamente uma leitura tensa, que vai deixar você comendo as unhas de tanta ansiedade! Este livro toma rumos bem mais obscuros que o primeiro e as coisas ficam muito mais intensas quando Marguerite aprende o que está realmente em jogo. O fim de Dez Mil Céus Sobre Você culmina em um clímax de pura angústia e com um cliffhanger absurdo, que vai deixar você de cabelos em pé!
Este livro foi uma leitura bem tensa, mas incrivelmente divertida. O close é certíssimo! Então se você curte histórias sobre dimensões paralelas, mundos com possibilidades diferentes e quer ler uma complexa série que aborda questões sobre famílias, amor e sorte, eu definitivamente recomendo botar “Dez Mil Céus Sobre Você” na sua wishlist. O livro foi lançado no Brasil pela Editora Agir Now – Haper Collins Brasil.
Escala cliffhanger: 5/5 penhasquinhos.

Por Mr. Cliffhanger.

Conheça um pouco mais sobre o livro “Primeiro e Único” de Emily Giffin!

Conheça um pouco mais sobre o livro “Primeiro e Único” de Emily Giffin!

O livro tem uma receita improvável: romance e esporte. Com esses ingredientes, a autora Emily Giffin faz uma mistura inusitada onde uma protagonista feminina vive uma trama em meio a uma cidade universitária que gira em torno do futebol americano, esporte essencialmente masculino. Assim acontece com Shea, que cresce nessa cidade, cercada pelas regras do futebol, influenciada pelo treinador Carr.  Não tem ambição de se mudar, quer realizar os seus sonhos nesta cidade, motivada pela família que sempre a acolheu e pelo pai de sua melhor amiga. Assim quando teve que escolher, não teve dúvidas, escolheu a Walker, pelo amor ao esporte. Após uma perda na família de Lucy, sua melhor amiga, Shea consegue um emprego como repórter, através da influência do treinador Carr. A partir daí, percebe o quanto poderia estar acomodada, inclusive na sua vida sentimental e aí que resolve mudar, mas onde isso poderia levá-la? Ao passo que como repórter, consegue acompanhar todos os jogos e estar mais próxima do treinador, o seu olhar muda. Por outro lado, o seu relacionamento com um jogador de destaque fica mais sério,  deixando a protagonista confusa e dividida. A partir daí a autora desenvolve um enredo muito louco, que percorre todo um caminho que pode surpreender o leitor.

Para quem gosta de esporte, é uma boa leitura, mas para os que gostam de romance, a trama do livro pode agradar também. O ponto discutível são as muitas citações de regras do futebol americano, que podem exaurir o leitor que não é fã de esporte, mas por outro lado podem conquistar o universo masculino, que evita romances.
Emily já é conhecida por sempre costurar relações pessoais, às vezes polêmicas, mas que costumam agradar os leitores. Vale a pena conferir a história, só não há como liberar mais detalhes sem spoiller (…difícil!), pois cada detalhe importante da história pode revelar o seu destino final. O livro foi lançado pela Editora Novo Conceito.

Confira a capa:
emily1

 

Sinopse:

 

 

“Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos.
Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos. A aclamada autora de Questões do Coração e Presentes da Vida criou uma história extraordinária sobre amor e lealdade e sobre uma heroína não convencional que luta para conciliá-los.”

 

 

 

Sobre a autora:

 

 

Emily-Giffin-One-Only-Interview-Video

A autora Emily Giffin

Emily Giffin além de escritora, é advogada, formada pela Wake Forest University, mas sempre gostou de escrever. Seus romances bem escritos e relacionados à vida moderna são garantia de diversão. A autora best-seller pelo The New York Times vive com o marido e três filhos em Atlanta, nos Estados Unidos. Além de ‘Primeiro e Único’ autora dos livros ‘O Noivo da Minha Melhor Amiga’ (adaptado para o cinema), Presentes da Vida, Ame o Que É Seu, Uma Prova de Amor, Questões do Coração, Laços Inseparáveis e outros.

Por ~M